Jair Bolsonaro é o 10º militar a assumir a Presidência da República. Saiba mais!
Segunda, 29 de Outubro de 2018 - Atualizado as 10h47min

Eleito presidente do Brasil neste domingo (28), o deputado federal Jair Bolsonaro, do Partido Social Liberal (PSL), será o décimo militar a ocupar a Presidência desde a Proclamação da República, em 1889. O capitão reformado do Exército tornou-se também, desde a adoção da atual forma de governo, o terceiro mandatário oriundo das Forças Armadas a ser escolhido pelo voto direito.

Embora tenham participação marcante na história da República, os militares só estiveram no cargo máximo do Executivo por nove vezes de uma lista de 37 presidentes, que inclui aqueles que exerceram a função por períodos curtos. É o caso de Michel Temer, atual mandatário, que sucedeu Dilma Rousseff, a titular da pasta, quando esta foi cassada em 2016 depois de sofrer um processo de impeachment.

A Proclamação da República é fruto de um movimento liderado por um militar, o marechal Deodoro da Fonseca, que derrubou a Monarquia e assumiu provisoriamente o novo governo até 1891, quando foi eleito indiretamente (a primeira Constituição republicana previa tanto eleição direta quanto indireta), mas renunciou no mesmo ano. Foi substituído por outro militar, o marechal Floriano Peixoto, que era o vice e ficou na função até 1894.

Antes de Bolsonaro, outros dois militares assumiram a Presidência pelo voto direito. Hermes da Fonseca (sobrinho de Deodoro), representante do Partido Republicano Conservador (PRC), foi eleito ao derrotar o jurista Rui Barbosa e sua campanha civilista. O militar, que assim como seu tio era marechal, ficou no cargo de 1910 a 1914.

O outro fardado a se tornar presidente eleito em votação direta foi Eurico Gaspar Dutra, do Partido Social Democrático (PSD) e também marechal, que contou com o apoio de Getúlio Vargas para derrotar o igualmente militar Eduardo Gomes. A eleição do brigadeiro decretou de vez o fim do Estado Novo (1937-1945), período que fez parte da Era Vargas, iniciada em 1930, e ficou marcado pelo autoritarismo e forte repressão.

Junta militar

Por duas vezes na história republicana brasileira, o País foi governado por uma junta formada por militares. A primeira ocorreu em 1930, quando um golpe liderado por Getúlio Vargas resultou na deposição do presidente Washington Luís e impediu Julio Prestes, então eleito pelo voto direito, de assumir o cargo. Coube a três militares comandarem o Brasil, mas por apenas dez dias.

Outro episódio semelhante ocorreu em 1969, quando o presidente Artur da Costa e Silva afastou-se por motivo de saúde. O governo militar impediu que o vice Pedro Aleixo, um civil, substituísse o titular do cargo e escalou um trio de representantes das Forças Armadas que assumiu o governo por 60 dias.

Ditadura Militar

O período mais marcante da participação militar no governo executivo teve início em 1964, com a deposição de João Goulart, vice e sucessor direto de Jânio Quadros, que renunciou em 1961, e só terminou em 1985, com o processo de redemocratização. Nesses 21 anos cinco militares se revezaram na Presidência.

O marechal Humberto Castelo Branco foi eleito pelo Congresso Nacional e comandou o Brasil de 1964 a 1967. Depois, ocuparam a Presidência os generais Artur da Costa e Silva (1967-1969), Emílio Garrastazu Médici (1969-1974), Ernesto Geisel (1974-1979) e João Figueiredo (1979-1985). O período foi marcado por forte repressão, censura à liberdade de imprensa e de expressão e relatos de tortura.

Capitão da reserva e carreira política

Formado na Academia Militar de Agulhas Negras, em 1977, Bolsonaro entrou para a reserva em 1988, quando ainda era capitão do Exército, e no mesmo ano elegeu-se vereador pelo Rio de Janeiro, dando início a uma longa carreira política.

Dois anos depois foi o candidato mais votado do Rio para uma vaga na Câmara dos Deputados. Bolsonaro está no sétimo mandato como deputado federal. Integrante do chamado “baixo clero”, grupo de parlamentares de pouca projeção no Congresso Nacional, é conhecido por defender posições conservadoras, nacionalistas e de caráter militar.

“Jair Bolsonaro é conhecido por suas posições em defesa da família, da soberania nacional, do direito à propriedade e dos valores sociais do trabalho e da livre iniciativa. Suas bandeiras políticas são fortemente combatidas pelos partidos de ideologia esquerdista”, diz um trecho de seu perfil oficial divulgado por sua campanha.

Eleito na chapa de Jair Bolsonaro, o general Antônio Hamilton Martins Mourão é o vice-presidente da República. Chegou a ocupar o cargo de secretário de Economia e Finanças do Exército durante o governo Temer, que o exonerou no ano passado. Em fevereiro deste ano, foi transferido para a reserva.

Confira a lista dos nove presidentes militares:

1- Marechal Deodoro da Fonseca (1889-1891)
2 - Floriano Peixoto (1891 a 1894)
3 - Hermes da Fonseca (1910-1914)
4 - Eurico Gaspar Dutra (1946 a 1951)
5- Humberto Castelo Branco (1964-1967)
6 - Artur da Costa e Silva (1967-1969)
7 - Emílio Garrastazu Médici (1969-1974)
8 - Ernesto Geisel (1974-1979)
9 - João Figueiredo (1979-1985)

  • Fonte: O tempo
Publicidade
loading... Carregando conteúdo...

Digite aqui seus comentários.

Reload the CAPTCHA codeSpeak the CAPTCHA code
 
Publicidade