Home Destaques Bolsonaro reconhece que preço de combustível está alto para o consumidor

Bolsonaro reconhece que preço de combustível está alto para o consumidor

por Redação

Uma das saídas apontadas por ele é a quebra do monopólio da Petrobras


IS Ingrid Soares

(foto: Evaristo Sa/ AFP)

O presidente Jair Bolsonaro (Sem partido) reconheceu na tarde desta segunda-feira (16) que o preço dos combustíveis está alto no país. Uma das saídas apontadas por ele é a quebra do monopólio da Petrobras. O discurso ocorreu após encontro com o Ministro da infraestrutura, Tarcísio Freitas.

“Estamos fazendo o possível para baratear o preço do combustível, reconhecemos que está alto no Brasil”, afirmou o presidente da República, emendando que a equipe econômica tem trabalhado para tentar encontrar uma solução.
“Lá na refinaria o preço está lá embaixo, ele cresce e fica alto [para o consumidor] por causa de impostos estaduais, ICMS [Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços] basicamente, e, depois, o monopólio existe na questão da distribuição e nós estamos buscando quebrar esse monopólio para diminuir o preço. Só com a concorrência ele pode diminuir”, apontou.
O chefe do Executivo disse ainda que a equipe econômica tem trabalhado buscando soluções para o barateamento dessa energia, com o estímulo aos investimentos no setor.
“Preço médio do diesel na refinaria [é de] R$ 2,26, e aí tem impostos estaduais, municipais também, custo da logística, da distribuição, tem o lucro do posto”, ponderou.
Bolsonaro disse ainda que estuda uma proposta para que as usinas possam vender diretamente aos postos de combustível.
“Tem caminhões de transporte que andam 400 quilômetros para entregar etanol a 1 km da usina, isso é um absurdo. Tem gente que é contra porque há interesses de grupos econômicos no Brasil. Não é fácil buscar solução para tudo, mas estamos fazendo o possível. [Com] um pouco de colaboração por parte de outros setores da sociedade, em especial o político, dá para resolver esse assunto”, ressaltou.
Sobre a paralisação dos caminhoneiros, o ministro Tarcísio descartou a possibilidade.
“Eu acho que sim [que está descartada greve esse ano], observe que hoje era o dia de início, não está tendo nada nas estradas. Não houve nenhum ponto de bloqueio porque há um grande respeito nosso com os caminhoneiros e um respeito muito grande dos caminhoneiros com relação a gente. Conseguimos estabelecer um diálogo, ele sabe que tem as portas abertas e a cada dia nós temos soluções novas”, concluiu o ministro.

Related Articles

Deixe um comentário