Home Geral Campanha Julho Amarelo contra hepatite B une órgãos da saúde e escolas de Rondônia

Campanha Julho Amarelo contra hepatite B une órgãos da saúde e escolas de Rondônia

por Redação

Campanha Julho Amarelo contra hepatite B une órgãos da saúde e escolas de Rondônia

Porto Velho, RO – Em tempos de pandemia do novo coronavírus, e sem descuidar do trabalho de enfrentamento outras patologias perigosas e de grande potencial infectante, como as hepatites virais, o Governo de Rondônia amplia suas frentes de combate à doença com uma importante parceria firmada entre a Secretaria de Educação (Seduc), Secretaria de Saúde (Sesau) e Agência de Vigilância em Saúde (Agevisa), durante a campanha Julho Amarelo, para divulgar, combater e avaliar a cobertura vacinal da hepatite B no Estado de Rondônia.

Na mesma linha das campanhas periódicas de enfrentamento de problemas sociais e de saúde, o Julho Amarelo tem o objetivo de reforçar as ações de vigilância, prevenção e controle das hepatites virais, que em Rondônia são coordenadas pela Agevisa, segundo informou a enfermeira Gilmarina Silva Araújo, coordenadora do Núcleo de IST, Aids e Hepatites Virais da Agência Estadual, responsável pelo inquérito (levantamento) feito nas escolas com a participação da classe estudantil, para avaliar com segurança a cobertura vacinal da hepatite B na população.

Todo o levantamento, segundo ela, que é realizado com o apoio da Seduc e Sesau, é feito por meio de um questionário que é respondido pelo aluno, traçando um perfil da situação de sua família, prestando informações essenciais para a pesquisa, quanto a cobertura vacinal, com dados sobre idade, sexo, gestantes na família, quantidade de doses tomadas, de modo que a plena investigação sirva de subsídio ao Estado para o conhecimento de sua realidade, especialmente quanto aos níveis de vacinação contra a hepatite B, e para a tomada de decisões ao seu enfrentamento e combate.

A enfermeira explicou que os dados desta investigação são importantes para que os órgãos de saúde do estaduais possam traçar uma estratégia de ação para prevenir a transmissão, uma vez que a hepatite é uma doença infectocontagiosa, mas que tem cura, no caso, a hepatite B. “Com base nesses dados que estamos colhendo no Julho Amarelo, vamos poder reforçar a vacinação das gestantes, por exemplo, para prevenir a transmissão vertical – da mãe para o bebê”-, disse lembrando que, quanto aos demais é preciso confirmar se foi completo o esquema vacinal.

O QUE PRECISO SABER?

Conforme publicação do Ministério da Saúde, a hepatite é uma inflamação do fígado que pode ser causada por vírus ou pelo uso de alguns medicamentos, álcool e outras drogas, assim como por doenças autoimunes, metabólicas ou genéticas. Silenciosa, a hepatite nem sempre apresenta sintomas, mas quando aparecem, estes se manifestam na forma de cansaço, febre, mal-estar, tontura, enjoo, vômitos, dor abdominal, pele e olhos amarelados, urina escura e fezes claras. As virais, que são o objeto da campanha Julho Amarelo são classificadas pelas letras do alfabeto em A, B, C, D (Delta) e E.

Importa esclarecer que todos os tipos desta doença são muitos perigosos pelo poder infectante que encerram, entretanto a hepatite C ainda é a mais temida pelos danos correlatos que causam na pessoa infectada. O estudo do Ministério da Saúde indica que a hepatite C tem como principal forma de transmissão o contato com sangue. É considerada a maior epidemia da humanidade hoje, cinco vezes superior à AIDS/HIV. E é a principal causa de transplantes de fígado, visto que causa cirrose, câncer de fígado e morte. Diferentemente da hepatite B, a hepatite C não tem vacina.

PREVENÇÃO DA HEPATITE B

No caso da Hepatite B, objeto da campanha do Julho Amarelo, a vacina é a principal medida de prevenção, sendo extremamente eficaz e segura. Mas outras medidas de caráter prático também são muito importantes para evitar o contágio, como usar preservativo nas relações sexuais; não compartilhar objetos de uso pessoal, tais como lâminas de barbear e depilar, escovas de dente, material de manicure e pedicure, equipamentos para uso de drogas, confecção de tatuagem e colocação de piercings.

A campanha Julho Amarelo foi instituída no Brasil pela Lei nº 13.802/2019 (Dia 28 de julho é comemorado o Dia Mundial de Luta Contra as Hepatites Virais) e tem por finalidade reforçar as ações de vigilância, prevenção e controle das hepatites virais. Na página do Ministério da Saúde https://bvsms.saude.gov.br/ultimas-noticias/3221-julho-amarelo-mes-de-luta-contra-as-hepatites-virais é possível obter todas as informações sobre a doença, do contágio ao tratamento, e também sobre a campanha Julho Amarelo.

Related Articles

Deixe um comentário