Home Destaques Como tratar de osteoporose em tempo de coronavírus, nesta 2ª

Como tratar de osteoporose em tempo de coronavírus, nesta 2ª

por Redação

PORTO VELHO – Com o tema Telemedicina em Prática, os médicos Bernardo Stolnicki e Luiz Fernando Tikle (*) vão debater nesta segunda-feira, 25, a partir das 20 horas, um assunto que começa a chamar a atenção nesse tempo em que só se pensa e fala de coronavírus, mas com outras implicações: “Covid 19 e Osteoporose, em síntese, “como deve ser realizado o tratamento da Osteoporose nesta época de Pandemia”. A apresentação será feita através da plataforma de teleconferências “Médico Exponencial”, e as inscrições através do endereço webinar https://BIT.LY/COVID-19-OSTEOPOROSE-EMS.

O tema da Webinar é como deve ser realizado o tratamento da Osteoporose nesta época de Pandemia (COVID-19). O palestrante Luiz Fernando explica: “não falaremos sobre tratamento da COVID-19. Abordaremos quais as particularidades em relação ao tratamento nesta época, quais exames devem ser feitos, se a medicação pode ou não ser continuada!  Vamos falar sobre um Programa de Prevenção de Refraturas ( FLS ), que coordeno aqui em Porto Velho, que tem uma classificação Ouro pela IOF (INTERNATIONAL OSTEOPOROSIS FOUNDATION). É um programa aonde tratamos pacientes fraturados (SUS- Governo do Estado de Rondônia) por fragilidade óssea ( Osteoporose) e após investigação tratamos para evitar refraturas”.

A classificação estabelecida pela IOF é como se fosse uma olimpíada: Classificação Ouro é para quem está no topo do nível de atendimento, a Prata é para os segundos colocados e a Bronze um nível mais abaixo. “O trabalho que vamos apresentar nesta segunda-feira será feito usando uma linguagem simples, para o melhor entendimento de todo o público. Não será necessário sere da área de saúde para entender”, explica Luiz Fernando.

Ele continua, dizendo que o Programa de Prevenção de Refraturas foi implantado na Policlínica Osvaldo Cruz, em Porto Velho, sob sua coordenação, e que sua aplicação Com o trabalho realizado na Policlínica Oswaldo Cruz ( FLS ) “diminuímos o número de pacientes fraturados, diminuição do número de internamentos, gasto com Materiais Cirúrgicos, internamentos em UTI enfim gastos com saúde pública para o Governo do Estado de Rondônia”!

(*)

Dr Luiz Fernando Tikle Vieira, Ortopedista e Traumatologista, atu na área de Densitometria Óssea e Doenças Osteometabólicas. Preceptor da Residência Médica no Hospital de Base, membro da ABOOM e Coordenador do Serviço de FLS (REVITA) do Governo de Rondônia.

(*)

Dr. Bernardo Stolnicki – Diretor Científico do Comitê de Doenças Osteometabólicas da Sociedade de Ortopedia e Traumatologia (ABOOM), médico no Rio de Janeiro.

Related Articles

Deixe um comentário