Home Corrupção Decisões da Justiça Eleitoral criam o efeito ‘barata tonta’ em Rolim de Moura; prefeito afastado tenta voltar e o interino tentar ficar

Decisões da Justiça Eleitoral criam o efeito ‘barata tonta’ em Rolim de Moura; prefeito afastado tenta voltar e o interino tentar ficar

por Redação

ROLIM DE MOURA – O eleitor do município de Rolim de Moura deve se sentir como uma ‘barata tonta’ quando tenta descobrir quem é o seu prefeito. No momento, que administra o município é o vereador e presidente da Câmara, Lauro Lopes, mas apenas interinamente, até que a Justiça julgue dois recursos a que o prefeito afastado Luizão do Trento ainda tem direito. Esta situação é fruto da legislação eleitoral brasileiro e seus infindáveis recursos.

O prefeito afastado de Rolim de Moura, Luiz Ademir Schock, que há 10 dias perdeu o recurso ao Tribunal Regional Eleitoral e foi afastado, com seu vice Fabrício Melo de Almeida, da função, ainda tenta voltar ao cargo, como disse um advogado ouvido pelo site. “Talvez, apenas por questão moral, porque daqui para o fim do mandato falta apenas 7 meses”, disse.

Vice-prefeito, Fabrício Melo de Almeida (PSD), e prefeito de Rolim de Moura, Luiz Ademir Schock (PSDB). — Foto: Divulgação/Prefeitura de Rolim de Moura

Luiz Schock, através do escritório de advocacia Nelson Canedo, conforme informação do TRE, entrou agora com dois recursos, um ”especial”, ao presidente do Tribunal Regional, desembargador Marcos Alaor Diniz e, outro, ao Tribunal Superior Eleitoral, em Brasília.

O recurso “especial” em que o prefeito afastado de Rolim de Moura requer a derrubada da decisão que o tirou da prefeitura rolimorense, está em análise, podendo ser acompanhado pelos interessados no site do próprio TRE.  Trata-se do processo número 000000 1 – 81.2017.6.22.0029.

Já o que está sob responsabilidade do Tribunal em Brasília, em realidade um mandado de segurança, é o processo 0600 533 -03.2020.6.00.0000.

A cidade de Rolim de Moura está sendo administrada neste momento pelo vereador doutor Lauro Lopes, vereador e presidente da Câmara, que assumiu interinamente, até o julgamento dos recursos a que Luizão do Trento ainda tem direito na Justiça.

Caso a Justiça negue ao prefeito afastado e seu vice os recursos que lhe possibilitem a volta ao cargo conquistado nas urnas nas eleições de 2016, haverá uma eleição indireta, realizada pela Câmara de Vereadores em que será eleito o prefeito para complementar o mandato que vai até 31 de dezembro deste ano.

O eleito ainda poderá concorrer à reeleição.

O advogado eleitoralista Nelson Canedo, encarregado da defesa de Luizão do Trento, acredita, no entanto, que sairá vitorioso no TRE e no TSE. “Vamos vencer. Tenho certeza que a Justiça fará valer a vontade do eleitor ao ir às urnas em 2016. Semana que vem, o Luizão deve estar de volta ao cargo de prefeito de Rolim de Moura”, disse.

Related Articles

Deixe um comentário