Home Artigos Detran arranca o ‘couro’ do contribuinte; emplacar o carro pode custar quase mil reais

Detran arranca o ‘couro’ do contribuinte; emplacar o carro pode custar quase mil reais

por Redação

Sérgio Pires

OPINIÃO DE PRIMEIRA – Uma placa de automóvel, inútil, já que, cometendo um pleonasmo, para nada serve, custa até 280 reais. É a tal vergonhosa placa do Mercosul, que as autoridades brasileiras inventaram para arrancar um pouco mais de dinheiro do bolso do pobre contribuinte. Em Manaus, ela custa em torno de 180, mas aqui, em Rondônia, o preço é pelo menos 100 reais a mais. É tudo que o explorado proprietário de veículo tem que pagar? Claro que não. Isso é apenas a ponta do iceberg. Além dos 280 da placa, o otário, quer dizer, perdão, o contribuinte, tem que pagar várias taxas para o Detran. Emplacar seu carro pode custar até 750 reais.

Placas do modelo Mercosul foram adiadas para o final de junho — Foto: Eliana Nascimento/G1

Ou até um pouco mais. Para trocar a placa antiga pela inútil do Mercosul, que é obrigatória, sempre que se perder uma placa antiga ou para os carros novos, o panaca, perdão, o contribuinte, tem que pagar algumas das famosas taxas ao Detran. Por exemplo: uma vistoria do veículo: 150 reais. Emissão de novo DUT, 321 reais. Só aí já se chegou a 751 reais. E assim os órgãos de arrecadação vão enchendo seus cofres, enquanto os bolsos dos cidadãos esvaziam cada vez mais. Uma vergonha!

MONTES: MP E TCE FORAM CONTRA O HOSPITAL DE CAMPANHA. ELES NEGAM

O deputado Jair Montes, do Avante, divulgou nas redes sociais, pouco antes do meio dia do domingo, um vídeo protestando com veemência, contra a não construção do Hospital de Campanha de Porto Velho, com pelo menos 200 leitos. E culpou, no vídeo,  o Tribunal de Contas do Estado, mas também o Ministério Público, por colocarem empecilhos,” impedindo que a obra fosse construída”. Ele enumerou os hospitais que existem, incluindo os públicos e privados e que estão lotados. Afirmou que foi informado de que o TCE-RO e o MP-RO “proibiram a compra deste hospital. “ e questionou “de quem é a culpa?”. Em tom bastante duro e dizendo que não tem medo de falar sobre o assunto, porque, segundo diz, quem entra para a política não pode se acovardar, Montes acrescenta,  em seu vídeo, “eu prefiro ir preso por defender o povo, defender a vida, do que  me omitir, de ser covarde. Eu não sou covarde!”. O presidente do Tribunal de Contas, dr. Paulo Cury, ao tomar conhecimento do assunto, informou que o Tribunal “jamais emitiu, formal ou informalmente, qualquer posicionamento contrário ao hospital de campanha. Aliás, diferentemente disso, estamos alertando o Estado, desde o início de abril, que faltariam leitos para o atendimento aos pacientes da Covid 19. Acrescentou: “realmente estive, junto com as promotoras da saúde, no final da reunião mencionada, mas porque teríamos uma reunião a seguir, com o secretário de saúde”. E conclui: “Não procede a acusação”, referindo-se ao vídeo de Jair Montes.

As promotoras de saúde do Ministério Público de Rondônia Emília Oiye e Flávia Barbosa Mazzini da força tarefa contra a Covid 19 e designadas pela Defensoria da Saúde para atuar nos casos sobre iniciativas relacionadas à doença, enviaram à coluna texto negando, totalmente, a declaração de Montes,  de que o MP teria colocado obstáculos para a construção do Hospital. O texto esclarece que o MP, em nenhum momento, interferiu “na decisão do Estado de Rondônia, sobre contratação de hospital de Campanha, bem como não emitiu qualquer documento relacionado a esse assunto”. A dra. Flávia Mazzini acrescenta: “com relação aos fatos narrados no vídeo divulgado pelo deputado Jair Montes, as promotoras chegaram à Sesau quando uma empresa apresentava proposta de hospital de campanha e acompanharam o final da apresentação. Depois disso, como o Estado de Rondônia não efetuou a contratação, não houve nenhuma medida”. Prossegue: “o Ministério Público, através da Força-Tarefa, acompanha a realização de política públicas relacionadas à pandemia, bem como fiscaliza os gastos de dinheiro público, sempre com o objetivo de que a sociedade tenha garantido os seus direitos, especialmente, no atual momento, de acesso à saúde, com uma correta e proba aplicação dos recursos públicos”. A promotora conclui, dizendo que “essa informação do deputado não é verdadeira” e  lamentando: “infelizmente, nesse momento, as redes sociais por muitas vezes não são utilizadas de forma correta!”.

TIC-TAC! A BOMBA RELÓGIO É ACIONADA

O confronto se avizinha. Não dá mais para esconder as coisas embaixo do tapete e fazer de conta que nada está acontecendo. Há sim uma mobilização intensa da oposição (aí se inclui parte do Congresso e praticamente todo o Supremo Tribunal Federal, transformado em braço político da oposição) e da grande mídia contra o presidente Bolsonaro. A meta é uma só: derrubá-lo. De outro lado, ele mesmo e seus seguidores já deixaram claro que não vão aceitar um golpe que se desenha, passivamente. O primeiro confronto já ocorreu neste final de semana em São Paulo, onde uma manifestação pacífica pró Bolsonaro (que a mídia chama de protesto fascista), se encontrou com grupos de torcidas organizadas que todos sabem qual a representatividade e a representação (que a mídia chama de demonstração antifascista) e houve confronto. Por pouco ninguém morreu. Em Brasília, milhares de simpatizantes do Presidente o recepcionaram com ovação e gritos de apoio. Não era pouca gente. No outro final de semana,  a oposição avisa que fará grande demonstração antiBolsonaro em frente ao Planalto. Tic-tac. Tic-Tac. A bomba relógio começa a contar o tempo.

CORONEL ALMEIDA ASSUME O COMANDO DA PM

Antes de completar um ano e meio do governo Marcos  Rocha, o coronel Mauro Flores, que já comandava a tropa desde o governo Confúcio Moura, está deixando o comando da Polícia Militar de Rondônia. Ele ficou durante os oito meses em que Daniel Pereira governou o Estado e foi um dos poucos ocupantes de cargos de primeira escalão mantidos na administração de Rocha. Nos bastidores, ouve-se que Mauro Flores estaria insatisfeito com o não atendimento de algumas reivindicações  da PM. O Palácio Rio Madeira/CPA não comentou o assunto. Divulgou apenas que haverá troca de comando e que assumirá o posto do coronel Alexandre Luiz de Freitas Almeida, que comandava, até agora, a Corregedoria da PM. A solenidade de troca de comando não será pública, como normalmente ocorre, por causa da pandemia. Ela será realizada a partir das 15 horas, no Palácio, com a presença do governador Marcos Rocha; do comandante que assume e do que está saindo, além de algumas poucas autoridades convidadas.

GUAJARÁ: 14 MILHÕES EM CAIXA. NADA PARA A SAÚDE?

Até o final de semana,  quase 230 casos de contaminação por corona vírus em Guajará Mirim, a cidade brasileira que, proporcionalmente, tinha maior taxa de  mortes pela doença, em relação ao total de afetados por ela. No domingo, eram 226 casos e 20 mortes, ou seja, 8,8 por cento de todos tinham morrido. O índice caiu um pouco, depois da intervenção feita com equipes da Secretaria Estadual de Saúde, já que o município praticamente nada estava fazendo para conter a epidemia. Não fora comprado um só respirador e os leitos são cada vez mais raros. O prefeito Cícero Noronha tem pedido apoio das autoridades estaduais e federais, alegando que a Prefeitura não tem recursos para investir no combate à doença. Ocorre que um cidadão de Guajará, atento leitor desta coluna, usou e enviou um documento (temos em mãos), comprovando que nesta segunda-feira, 1º de Junho, a Prefeitura da sua cidade tinha, em caixa, disponíveis, nada menos do que 14 milhões e 200 mil reais disponíveis. Ora, pagando um preço médio de 100 mil reais por respirador, o que é mais ou menos o que o mercado está cobrando, Guajará poderia comprar pelo menos 30 respiradores e ainda lhe restaria um gordo saldo bancário. Também poderia locar, caso possível, leitos em hospitais e clínicas privadas. Ainda assim, ficaria muito bem de saldo da grana.

PREFEITO DIZ QUE EMPENHOU MAIS DE 10 MILHÕES

Está na hora, portanto, da prefeitura rever suas ações na saúde. O prefeito Cícero Noronha., questionado sobre o assunto, informou que dos 14 milhões, mais de 10 milhões e 400 mil já foram empenhados. A informação da Prefeitura é de que está sendo aberto o crédito para utilização para pagamento e valorização profissional, no valor de 7 milhões e 85 mil reais. Nesse pacote estão também os 3 milhões e 318 mil reais, serão aplicados na saúde indígena, já que não podem ser usados em outras áreas. Segundo ele, no pacote para a Covid, já estão sendo utilizados 3 milhões e 820 mil.  A soma dos empenhos realizados até agora ainda não chega a 14 milhões e 200 mil, mas permite que, finalmente, sejam feitas ações concretas contra a propagação da doença. O momento é, mais do que nunca, de priorizar tudo o que for possível para combater o corona vírus, ainda mais com os números assustadores de casos e mortes. Tomara que as coisas, a partir de agora, comecem a funcionar em Guajará.

PREFEITO E VEREADORES VISTORIAM OBRAS

Na manhã desta segunda-feira, o prefeito Hildon Chaves fez, novamente, uma das coisas que mais gosta: andar pelos bairros, para mostrar as obras que estão em andamento. Acompanhado por secretário Diego Lage e vereadores (Júnior Cavalcante, Pastor Sandro e Joelma Holder), ele esteve no bairro Flamboyant, vistoriando algumas obras de asfaltamento que estão sendo realizadas e anunciando ainda que faltam detalhes, como sarjeta e calçada, sublinhando que, em breve tudo estará concluído. No vídeo que postou nas redes sociais, o Prefeito confirmou ainda obras nos bairros Lagoinha, que já começaram e no da Lagoa, que devem começar em alguns dias. Depois, virão obras nos bairros Igarapé, Rio de Janeiro, Calama e outras áreas importantes da cidade. “Pé na rua, pé no chão, conversando com a população, ouvindo a população, mostrando as benfeitorias. E vem muito mais por aí!”, destacou o Prefeito.

COMEÇAM A SER FEITOS OS 100 MIL TESTES RÁPIDOS

Vai começar a fase de testes em massa em Rondônia, para só então temos uma ideia real de como está a situação em relação à Covid 19 em nosso Estado. O total de 100 mil testes rápidos começam a ser aplicados nos próximos 14 dias, em todas as 52 cidades rondonienses, obviamente a maioria deles em Porto Velho, onde se registra o maior percentual de casos e de mortes. Enquanto mais de 95 por cento de todos os leitos hospitalares e de UTI estão lotados, o governo do Estado apressa a conclusão das obras da antiga Maternidade Regina Pacis, que abrirá de imediato 38 leitos e mais de 70 numa segunda etapa. Também devem ser liberados em alguns dias os 60 leitos alugados pela Assembleia Legislativa, para atender apenas doentes com o corona. A construção de um hospital de campanha  também continua nos planos da Secretaria da Saúde. A segunda-feira trouxe, de novo, números assustadores. Já são 5.172 casos confirmados e 159 mortes. São 2.389 curados.

PERGUNTINHA

Qual sua opinião sobre o confronto nas manifestações em São Paulo, no domingo: foram mesmo democratas contra fascistas, como divulgou a grande imprensa brasileira ou democratas contra baderneiros, como dizem os bolsonaristas?

Related Articles

Deixe um comentário