Home Cacoal e Zona da Mata Dupla que vendia certificados de conclusão de ensino médio pelo Facebook é presa pela PC durante a operação “LOKI”

Dupla que vendia certificados de conclusão de ensino médio pelo Facebook é presa pela PC durante a operação “LOKI”

por Redação

Foto: Reprodução

A Polícia Civil do Estado de Rondônia, por intermédio da Delegacia de Cacoal deflagrou na manhã desta quarta-feira, 31 de março, a operação “LOKI” em combate aos crimes de estelionato e moedas falsas em Cacoal e Vilhena.

A ação policial resultou na prisão de P. R. G. de 54 anos (em Cacoal) e J.R.S. de 31 anos (em Vilhena-RO). O primeiro falsificava os documentos, enquanto o comparsa administrava o perfil falso do facebook e vendia os certificados.

Os investigadores apreenderam diversos diplomas, computadores, celulares, carimbos, instrumentos para a adulteração dos certificados na residência dos envolvidos.

A PCRO já identificou mais de 50 certificados de conclusão do ensino médio falsificados, que poderão causar prejuízos irreparáveis àqueles utilizaram. Como a perda de eventual conclusão de ensino superior e até mesmo emprego, já que o direito produzido pelo uso do documento falso é totalmente nulo.

As investigações iniciaram após denúncias de que diplomas falsos estavam sendo apresentados em cartório para autenticação e reconhecimento de firmas dos diretores da instituição de ensino.

Os documentos foram enviados para exame pericial e constatada a fraude.

Os “produtos” oferecidos eram CNH falsificada, diplomas, dinheiro e até mesmo cartões de crédito em nome de terceiros com crédito de até R$ 10.000,00 (dez mil reais).

O Serviço de Investigação e Capturas – SEVIC logrou êxito em identificar os envolvidos. Diante das informações, a autoridade policial representou pelas medidas judiciais de busca e apreensão e mandados de prisão preventiva.

R. G. e J.R.S. já haviam sido processados e julgados anteriormente pela prática do mesmo tipo de crime. Na manhã de ontem, eles foram presos e recolhidos ao sistema prisional onde permanecerão à disposição da Justiça. Caso sejam condenados, podem pegar uma pena do crime varia de 2 a 8 anos de reclusão.

A operação recebeu o nome LOKI, o deus da mentira na mitologia nórdica. Ele com estratégia engana e causa prejuízo aos que se aproveitam de suas travessuras. Desta forma, a dupla agia na conduta criminosa.

 

Related Articles

Deixe um comentário