Home Destaques FECOMÉRCIO: Para evitar medidas rígidas é preciso seguir as recomendações de saúde

FECOMÉRCIO: Para evitar medidas rígidas é preciso seguir as recomendações de saúde

por Redação

A expansão do Covid-19 em Rondônia, eleva a necessidade de adoção de medidas rígidas e coordenadas dos diversos setores da economia, em especial o de comércio e serviços, bem como do governo e da sociedade. A Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Rondônia-Fecomércio/RO, representada pelo vice-presidente Julio Gasparelo participou de videoconferência com o Governador Marcos Rocha, secretários e entidades do setor produtivo, nesta sexta-feira (08) para ação conjunta em relação as medidas de segurança que devem ser adotadas pela clientela do comércio e de toda população para a contenção da doença.

Para o Governador Marcos Rocha é fundamental que os empresários dos setores essenciais, que estão em funcionamento, observem rigorosamente as recomendações das autoridades de saúde, em especial ao uso de máscaras, distanciamento e higienização e, claro, a liberação do trabalho de pessoas infectadas ou incluídas nos grupos de risco. “Precisamos salvar vidas”, afirmou.

Julio Gasparelo destacou que “Estamos todos empenhados com o governo em repassar a sociedade informações para evitar a propagação do vírus no Estado de Rondônia, trabalhando em conjunto com o poder público, dando todo apoio, visando evitar medidas severas, mas, para isto será indispensável diminuir a transmissão do vírus, por isso é importante tanto os empresários, quanto a população darem atenção as medidas protetivas, principalmente, não saindo sem máscaras. Também solicitamos que as pessoas se abstenham de reproduzir e compartilhar fake news nas redes sociais, prezando por fontes oficiais de informação. É momento de apoiarmos o governo e não contribuir com o compartilhamento de informações falsas que dificultam o trabalho importante que a secretaria de saúde vem desenvolvendo”.

A Fecomércio/RO informa que está atenta aos desdobramentos e os impactos humanos e materiais do avanço do vírus para adotar medidas e repassar orientações para seus representados, sindicatos, colaboradores e a sociedade em geral.

 

 

 

 

Fonte: Assessoria/Fecomércio

Related Articles

Deixe um comentário