Home Corrupção Vai e vem da Justiça Eleitoral deixa o eleitor como ‘barata tonta’ em Rolim de Moura

Vai e vem da Justiça Eleitoral deixa o eleitor como ‘barata tonta’ em Rolim de Moura

por Redação

ROLIM DE MOURA – O eleitor deste colégio eleitoral composto por 35 mil votantes está como ‘barata tonta’ diante do vai e vem da Justiça Eleitoral em relação ainda às eleições de 2016,l quando foi eleito para administrar a cidade o empresário Luiz Ademir Shock, o Luizão do Trento (PSDB), tendo como vice Fabrício Melo.

Acusado de abuso de poder econômico naquele pleito, o prefeito já teve o mandato cassado, foi afastado, retornou ao cargo, foi afastado novamente, marcou-se até a data da eleição suplementar para conclusão do mandato, mas, na véspera da eleição, um ministro do Tribunal Superior Eleitoral, do alto de seu conhecimento de Brasil e do conforto de seu gabinete em Brasília, mandou suspender as eleições e reconduziu o prefeito ao mandato e, consequentemente, à administração do município.

Vice-prefeito, Fabrício Melo de Almeida (PSD), e prefeito de Rolim de Moura, Luiz Ademir Schock (PSDB). — Foto: Divulgação/Prefeitura de Rolim de Moura

Agora, a decisão do Tribunal Regional Eleitoral no início da noite desta terça-feira, 12, sobre as denúncias de abuso econômico na eleição de prefeito e vice em 2016 em Rolim de Moura, tem tudo para ter nova caminhada, reiniciando um processo com mais de três anos após a primeira queixa, ao MP Eleitoral no próprio município. O processo já passou até pelo TSE e teve, nesta semana, um novo capítulo no Tribunal Regional Eleitoral, voltando praticamente à estaca zero.

Tudo isto é resultado de uma legislação feita sob medida para dar brecha aos que preferem os caminhos tortuosos à margem da Lei e bem diferente da vida real cotidiana do cidadão, onde vale o que está escrito ou o que foi combinado. Quase quatro anos depois da eleição e já às portas de um novo pleito, a Justiça Eleitoral não consegue definir e fazer valer a escolha do eleitor.

Isso é democracia?

A decisão da noite desta terça-feira do pleno do TRE foi pelo afastamento do prefeito e vice, assumida a Prefeitura o presidente da Câmara, mas ainda na manhã desta quarta-feira informações de pessoas em Rolim de Moura eram de que tão logo a publicação do acórdão da nova decisão do TRE no Diário da Justiça – o que se espera acontecer ainda nesta quarta – a defesa do prefeito Luizão do Trento e do vice Fabrício Melo deverá entrar com novo recurso, agora ao Tribunal Superior Eleitoral, de onde a matéria retornou há pouco.

As opções podem levar até a uma eleição indireta – quando o prefeito será escolhido pelos vereadores, ou permitir que o presidente da Câmara termine o mandato, o que abre a possibilidade dele mesmo, ou se houver a indireta o que for eleito, ser candidato na próxima disputa municipal, prevista para 4 de outubro, e que, devido ao coronavírus, pode nem acontecer nesta data.

Fonte: expressaaorondonia.com.br

Related Articles

Deixe um comentário