Home Coronavírus Vigilância Sanitária orienta equipe médica nas Upas e Unidades Básicas

Vigilância Sanitária orienta equipe médica nas Upas e Unidades Básicas

por Redação

Porto Velho – A Prefeitura de Porto Velho, por meio do Departamento de Vigilância em Saúde (DVS) da Secretaria Municipal de Saúde (Semusa), atendendo determinação do prefeito Hildon Chaves e seguindo os protocolos do Ministério da Saúde, realizou uma reunião na tarde de segunda-feira (16), com profissionais da DVS para alinhar as orientações às equipes que trabalham nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) e nas Unidades de Pronto Atendimento (Upas), quanto ao atendimento dos casos suspeitos de coronavírus (Covid 19).


– A Prefeitura de Porto Velho, por meio do Departamento de Vigilância em Saúde (DVS) da Secretaria Municipal de Saúde (Semusa), atendendo determinação do prefeito Depois de receber as orientações, os técnicos da DVS seguiram para a sua primeira missão na Upa Sul, onde repassaram as informações aos profissionais que atuam naquela unidade. “A gente atende o paciente sintomático, aquele que procura a nossa Unidade de Saúde e lá é feita a classificação”, frisou Sônia Lima, da Divisão de Vigilância em Saúde e uma das responsáveis pelo treinamento da equipe.

Sônia acrescentou que, no caso de uma pessoa entrar na unidade com febre, tosse e alguma complicação respiratória, cabe ao Centro de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde (Cievs) Municipal fazer a classificação para a coleta do exame de coronavírus.

“As nossas unidades precisam estar prontas para esse atendimento, por isso a importância dessa capacitação em relação ao primeiro atendimento desse paciente, saber se ele veio de viagem do exterior, se teve contato com pacientes suspeitos e se veio de outros estados”, pontuou.

Exames

Em caso suspeito, será coletada amostra para exame e notificado pela vigilância municipal, que por sua vez encaminha para a vigilância estadual. Se o resultado do exame for positivo, o Laboratório Central informa a equipe do DVS. “A gente faz o primeiro exame e se der alguma positividade aqui no local ele é encaminhado para contraprova. Se for caso que não tenha necessidade de hospitalização o paciente fica em quarentena, em isolamento domiciliar por 14 dias e também os contatos dele serão examinados”, explica.

Internação

Como se trata de um quadro que tem complicações, se tem febre alta, tosse constante e algum tipo de complicação respiratória como dispneia, que é falta de ar, esse paciente vai procurar a Upa e na Upa ele vai ficar em isolamento no momento, até que seja feita a classificação. Se for preciso hospitalização, então ele vai ser regulado e encaminhado para o hospital de doenças infecto contagiosas, que é o Cemetron”, completou.

Comdecom

Related Articles

Deixe um comentário